top of page

5+ Dicas de alternativas para tijolinho para todo gosto e bolso



“ O tijolo é um dos materiais mais adaptáveis e versáteis que existem, [...] em qualquer estilo que você quiser usá-lo, ele será a escolha certa! ”


Como vocês puderam ler no IT POST “ Tijolinho por tijolinho ”, dessa segunda-feira (28/09/2017), o tijolo aparente tem se tornado praticamente um protagonista quando o assunto é revestimento, adequando-se aos mais diversos estilos de decoração de interiores, sejam rústicos ou contemporâneos.


Primeiro aspecto importante sobre o uso desse material: a estética da junta! SIM, JUNTA! Sabe aquela massinha entre os tijolos? Então... Temos três opções de juntas:


JUNTA CHEIA


A argamassa entre os tijolos preenchem completamente a profundidade da peça, deixando toda a parede num mesmo nível, sem reentrâncias.



JUNTA FRISADA


A argamassa preenchem parcialmente a profundidade dos tijolos, deixando a textura segmentada tradicional dos tijolinhos, cheio de reentrâncias!



JUNTA SECA


Aplicação dos tijolinhos sem junta aparente, ou seja, a argamassa é aplicada entre o revestimento e a superfície base.



Entretando, apesar da versatilidade desse material, muitos devem estar pensando:

“AH! Mas custa caro! AH! Mas dá trabalho pra instalar! AH! Mas tem que ser feito por um profissional especializado! AH! Mas faz sujeira! AH! Mais dor de cabeça!”


CERTO ?? NÃÃÃÃO !!


Apesar de o HOC Arquitetura apoiar sempre a contratação de uma mão de obra instruida, experiente, competente e até mesmo especializada em alguns casos; reunimos aqui diversas dicas e alternativas para quem quer usar tijolinho de tudo quanto é jeito!


TIJOLINHO I : PINTANDO


Como ilustrado nas imagens, você tem duas alternativas: ou você cria o stencil/carimbo para criar o padrão; ou você define o padrão, com a ajuda de MUITA fita adesiva, reguas e um nível.


De qualquer maneira, esse método não é muito indicado. Afinal, apesar de parecer bem simples, são grandes as chances de ficar torto, sujo e de o resultado final ficar muito aquém do desejado.




TIJOLINHO II : RECORTANDO E COLANDO


O reuso de materiais tais como caixas de papelão, ovo e até leite, na criação de revestimentos e objetos de decoração não é grande novidade!


Porém, novamente nos deparamos com um desafio anterior: encontrar disposição para terminar o que começamos, mantendo a qualidade!


Pode ficar muito bom, mas o resultado é sempre incerto! Dá trabalho transformar e dar novo uso às coisas!


Embora seja bem mais fácil lidar com um moldagem e recorte de papel do que com pintura, você deve pensar bem no que deseja como produto final!



TIJOLINHO III : RECORTANDO, COLANDO E ESCULPINDO


Mais uma vez: não se engane com o quão fácil isso parece!


Talvez a melhor das três opções até o momento, o recorte e a moldagem de peças de tijolinhos de isopor fica com um aspécto muito mais realista por ser tridimencional.


O resultado pode ser ótimo! Mas já aviso: prepare seu aspirador de pó! Vem sujeira por ai!


Essa opção não é muito indicada para casas com crianças e animais, pois se trata de um material frágil quanto ao desgaste! Cuidado também com móveis e objetos que possam raspar a superfície revestida, o que na hora da limpeza, também exige cautela.


TIJOLINHO IV : MOLDANDO


Moldar os tijolinhos com uma forma individual pode dar muito certo! O volume do molde e o material (argamessa ou gesso), ajudam a parecer mais realista!


Porém, o trabalho e os materiais a serem usados, nos fazem contestar o custo-benefício dessa empreitada!


Sujeira e qualidade estética do produto final, também devem ser consideradas.