ESTILO MODERNO: Minimalista e elegante

Quando as pessoas falam em moderno geralmente querem se referir a algo contemporâneo, às tendências e estilos dos dias de hoje. Entretanto o nome moderno quando se trata de arquitetura e decoração tem um significado muito diferente!




A palavra moderna vem do Modernismo, um movimento artístico e literário datado do começo do século XX que se iniciou na Europa e em seguida veio para o Brasil.


Então vamos falar um pouco do Modernismo?


Como todo movimento artístico e literário, ele surge de uma necessidade de quebrar com os padrões estabelecidos anteriormente. O padrão vigente era o Romantismo, que focava no individualismo, na liberdade e tinha temas recorrentes relacionados à Natureza. Com a chegada da industrialização, houve uma grande mudança na sociedade e era necessário mudar o foco para entender esse processo.


Houve, então, uma grande quebra com os métodos já conhecidos em todas as artes, inclusive na arquitetura, onde priorizaram a forma, a funcionalidade e a sociedade como coletivo, ao invés do individualismo dos padrões passados.


Outra premissa do movimento foi a utilização de novos materiais e novas métodos de construção que resultaram em um avanço muito importante para a arquitetura e construção civil. Foram desenvolvidas algumas regras para determinar a arquitetura moderna como o uso de pilotis, janelas em fitas, entre outros aspectos.


Ville Savoye, uma das obras mais emblemáticas da época. Projeto de Le Corbusier



No Brasil, o modernismo teve uma cara mais nacionalista. Sua ideologia consistia em se libertar dos padrões internacionais e criar uma arte puramente brasileira. Seu auge foi durante a Semana de Arte Moderna em 1922, onde comemorou-se também 100 anos de independência e havia uma necessidade de mostrar para o mundo o que o país conseguiu conquistar durante esse século e qual era sua identidade.


Na arquitetura brasileira, o modernismo seguiu padrões de arquitetos internacionais como Mies Van der Rohe e principalmente Le Corbusier, priorizando a funcionalidade e o racionalismo com formas geométricas.


Casa Farnsworth, também emblemática para o movimento. Projeto de Mies Van der Rohe.



Podemos destacar arquitetos como Lucio Costa, Paulo Mendes da Roche, Affonso Eduardo Reidy e Oscar Niemeyer como representantes do movimento brasileiro, sendo esse último conhecido por quebrar com funcionalismo exagerado apresentado pelos modernista e começa a explorar a leveza das curvas buscando um resultado que possua beleza além da função.




E quanto aos interiores?


Le Corbusier afirmava que a casa era uma “máquina de morar”. Essa declaração exprime o gosto pelo racional e a funcionalidade também no design de interiores. As casas, dessa forma, são compostas por espaços minimalistas e clean, ideal para as pessoas que preferem espaços livres, sem o peso de muita ornamentação.


Afinal, vocês já devem ter ouvido que “menos é mais” não? Esse termo foi criado com o movimento moderno!


Começando pelas cores, são utilizadas muitas cores neutras, tanto para as paredes quanto para os móveis e objetos de decoração. Aposte em branco, preto, bejes, cinzas e marrons, lembrando de utilizar o contraste para quebrar a monotonia.


Contrastes entre cinzas, brancos e pretos com um toque de tons de madeira.



Os móveis também seguem essa premissa, sendo em tons de madeira ou pintados em tons neutros. Seu design deve consistir em linhas retas, moduladas e simples. O material dos móveis também é importante, sendo utilizado bastante cromo, aço, couro, camurça, vidro e acabamentos em laca. Outro fator importante seria que os móveis devem ser funcionais e principalmente ergonômicos.


A disposição dos móveis no layout também deve seguir linhas claras, paralelas ou perpendiculares para uma melhor organização. Entretanto, é comum que essa disposição seja feita de forma assimétrica.


Móveis em pés cromados e design simples, mas elegante em layout racional.


Ambiente em cores neutras e linhas bem definidas.



O mesmo se aplica para texturas e padrões. Diferentemente da maioria dos estilos, o uso de padrões deve ser mínimo e em tons neutros ou com poucos toques de cor.

Quanto aos objetos de decoração, também são utilizados ao mínimo. Os objetos devem ficar guardados em armários embutidos e, quando a mostra, devem ter tons neutros e/ou sobretons dos empregados ao resto da decoração.


Entretanto, uma luminária sofisticada ou um quadro são bem-vindos para dar um toque de personalidade aos ambientes.



Para evitar que o ambiente se torne muito frio e impessoal, é possível adicionar toques de cor em lugares estratégicos para tornar o ambiente mais aconchegante. O uso da madeira em tons mais quentes e claro é outro modo interessante de trazer aconchego.


Toques de cores muito pontuais para dar um pouco de aconchego aos ambientes sem quebrar a sobriedade.


Ainda com linhas definidas, a madeira ajuda a deixar os ambientes um pouco mais aconchegantes, em combinação com quadros expressivos.



Separamos mais imagens para você se inspirar com o minimalismo elegante dos ambientes e trazer para seus ambientes!


Lembrando que todas as nossas imagens estão disponíveis no Pinterest!


Gostaram ? Não esqueçam de curtir, comentar e compartilhar com os amigos!!


Temos sempre novidades pra vocês nas nossas redes sociais!! Dê um like na nossa página do Facebook ou nos sigam no Instagram!!


Está inspirado? Clique aqui e descubra como podemos te ajudar!!


POSTS RELACIONADOS